O mandato coletivo do deputado estadual Durval Ângelo (PT) realizou no último final de semana, 1º a 3 de dezembro, o 22º Encontro de Políticos Cristãos. A atividade aconteceu na cidade de Jaboticatubas e contou com a presença de cerca de 350 pessoas. Durante os três dias de atividades foram discutidas a conjuntura estadual, nacional e internacional; a retirada de direitos pelo governo Michel Temer; um novo projeto para o Brasil; o que estará em jogo em 2018; o empoderamento feminino e das juventudes; cultura popular; resistência por meio da mídia alternativa; bem como diretrizes para o mandato.

Participaram das atividades representantes de 70 cidades, entre eles prefeitos, secretários, vereadores, lideranças e militantes das causas sociais. O evento teve como palestrantes o teólogo e escritor Leonardo Boff, o representante da Mídia Ninja e do Fora do Eixo Ney Hugo, o professor da PUC-Rio Paulo Fernando, o professor da PUC Minas Robson Sávio, a diretora da Fundação Perseu Abramo Isabel dos Anjos, secretários do governo Fernando Pimentel, dirigentes do Partido dos Trabalhadores, entre outros convidados. A atividade também teve a presença do Frei Chico, que abordou a religiosidade e cultura popular.

Durante o encontro, Durval Ângelo fez uma análise da conjuntura estadual, quando lembrou que o PT assumiu o Governo de Minas com um deficit de R$7,2 bilhões deixado pela administração tucana. “Além disso, o PSDB contraiu vários empréstimos, deixando o Estado extremamente endividado. Mesmo com grandes dificuldades, Fernando Pimentel tem conseguido realizar ações importantes, entre elas: a criação da Secretaria de Direitos Humanos e a implantação da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, a diversificação da economia do Estado, além de conseguir manter os serviços funcionando, o que não tem ocorrido em outros estados brasileiros. Tudo isso, nos mostra que, pela primeira vez nos últimos ano, a lógica é dos mais pobres, que foram esquecidos pelas administrações tucanas”, destacou o parlamentar.

A cidadania e o projeto de deixar de ser massa e passar a ser povo

O 22° Encontro de Políticos Cristão contou com a colaboração do teólogo e escritor Leonardo Boff durante os três dias de evento. Sua palestra teve como temas “A cidadania e o projeto de deixar de ser massa e passar a ser povo” e a “Mística e militância: virtudes para um outro mundo possível”.

Leonardo Boff abordou os projetos que estão em jogo no Brasil. “Após o golpe jurídico-parlamentar de 2016, a cidadania é desafiada a confrontar-se com dois projetos antagônicos, disputando a hegemonia. O primeiro é o projeto dos endinheirados, articulados com as corporações transnacionais, que querem um Brasil menor, de no máximo 120 milhões de pessoas, pois assim acreditam que daria para administrá-lo sem preocupações. O outro projeto quer construir um Brasil para todos, pujante, autônomo e soberano face às pressões das potências militaristas, que visam estabelecer um império e viver da rapinagem das riquezas de outros países. Estes se associam com as elites nacionais, que estão por trás do golpe de 2016”, destacou.