O mandato do deputado estadual Durval Ângelo, líder do Governo na Assembleia, acompanhou na última quarta-feira (03/06), na Cidade Administrativa, reunião entre a prefeita de Ipatinga, Cecília Ferramenta, e o secretário estadual de Transportes e Obras Públicas, Murilo Valadares. Durante o encontro, a prefeita entrou pedido de apoio do governo mineiro para a manutenção do traçado original da ferrovia Transcontinental EF 354, que ligará as cidades de Uruaçu (GO) a Campos, no litoral do Rio de Janeiro, que passa pelo Vale do Aço

“Queremos somar esforços para que o traçado da ferrovia contemple o Vale do Aço, por ser logística e economicamente mais favorável. Seria uma grande conquista para nossa região, pois ajudaria a diversificar a economia, garantindo a atração de novos negócios, significaria novos mercados para as empresas que aqui já se encontram e, consequentemente, geraria mais emprego e renda. Juntamente com a duplicação da BR-381, a estrada de ferro vai solucionar o gargalo da escoação da nossa produção”, disse Cecília Ferramenta, agradecendo o apoio do deputado estadual Durval Ângelo, que viabilizou a reunião.

De acordo com projeto da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a ferrovia nasce no entroncamento com os trilhos da Ferrovia Norte-Sul, em Uruaçu, corta o Distrito Federal e Minas Gerais, até chegar a Campos, no Rio de Janeiro. O trecho ferroviário integra o Programa de Investimentos em Logística e seu custo de implantação pode chegar a R$ 28 bilhões. A malha terá 1.706 quilômetros, cortando 55 municípios, dos quais 41 estão em Minas, oito em Goiás, cinco no Rio de Janeiro e um no Distrito Federal. No entanto, há estudos que alteram o percurso do ramal e excluem a região do Vale do Aço.

O secretário Murilo Valadares se comprometeu a realizar um estudo de viabilidade econômica e buscar apoio no Governo Federal.