Na última quinta-feira (06/07), o líder de governo e deputado estadual Durval Ângelo (PT) participou de audiência pública na Assembleia Legislativa de Rondônia, quando apresentou a experiência em Minas com o método da Associação de Proteção e Amparo aos Condenados (APAC).

O modelo proposto nessas entidades visa promover a humanização das prisões, oferecendo uma alternativa de punição que tem como meta recuperar, socializar e evitar a reincidência no crime. O método também propõe a participação da comunidade e a ajuda de recuperandos.

Durante a audiência, o parlamentar ressaltou que a parceria governamental, bem como de todos os setores da sociedade, é essencial para que esse projeto de humanização do condenado possa trazer benefícios para toda a sociedade.

Defensor do método utilizado pela associação e autor do livro “APAC – a face humana da prisão”, Durval disse trabalha agora pela expansão da Apac, pois a sociedade precisa de projetos desse porte, que tragam o ser humano que transigiu a lei, de volta à sociedade.

O deputado disse que a sociedade, a cada dia, aumenta muros, compra câmeras e busca aparatos para segurança. Segundo ele, o que o povo tem que se conscientizar que somente haverá mudanças se o problema for atacado em sua raiz, transformando conceitos e educando o potencial criminoso para que ele faça parte da sociedade.

Participaram do debate o vice-governador do Estado, Daniel Pereira, o secretário de Justiça, coronel Marcos Rocha, o presidente da Comissão de Direitos Humanos, Léo Morais, o diretor da Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados (FBAC), Valdeci Antônio Ferreira e vários promotores de justiça.

Durante visita a Rondônia, Durval também se encontrou com o bispo Dom Antônio Possomai e o procurador geral, Airton Pedro Marin.

Crédito da Foto: Assessoria de Comunicação/ALRO