Cerca de 10 mil manifestantes tomaram as ruas de Belo Horizonte no último domingo, 1º de Maio, Dia do Trabalhador, em uma marcha em defesa da democracia e contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. A marcha saiu da Praça Afonso Arinos e seguiu até a Praça da Liberdade. O líder do governo na Assembleia, deputado Durval Ângelo (PT), participou da manifestação e alertou para os riscos do golpe.
“Caso o Senado confirme o afastamento da presidente Dilma presenciaremos mais um golpe contra a democracia. É importante ressaltar que o impeachment neste caso é um golpe, já que a presidente não cometeu crime de responsabilidade. Certamente teremos um retrocesso nas leis trabalhistas e nas políticas sociais”, destacou o parlamentar.
Na Praça da Liberdade foi montado o Acampamento pela Democracia. Os manifestantes, integrantes de movimentos como MST, CUT, MAB, partidos de esquerda e diversos outros movimentos sociais, organizados na Frente Brasil Popular, prometem manter o acampamento por 10 dias, numa demonstração de resistência e força contra o golpe.