Na última segunda-feira (12), a presidenta Dilma Rousseff assinou, em Ipatinga, a ordem de serviço para início da duplicação da rodovia BR-381/MG. O investimento total será de R$2,5 bilhões do Orçamento Geral da União. O deputado estadual Durval Ângelo (PT), acompanhou a presidenta durante a cerimônia.
O parlamentar lembrou os vários acidentes que ocorrem na BR, conhecida como rodovia da morte, e ressaltou a satisfação da população com a obra. “ O sentimento de toda a população do Vale do Aço, do Leste de Minas e de todos os mineiros é de alegria, satisfação e agradecimento. Estamos virando uma página da tragédia em Minas. Dilma está transformando a rodovia da morte na rodovia da vida”.
Durval criticou a postura do Governo do Estado de Minas Gerais que atrasou a liberação das licenças ambientais para que a obra pudesse ser iniciada. “ O governo fez de tudo para atrapalhar o inícios da duplicação da BR e também estão indo contra a ampliação do metrô e do anel do rodoviário. A presidenta Dilma já liberou a verba para essas duas obras, mas eles não apresentaram os projetos, que são de sua responsabilidade, para o início das intervenções”.
O deputado lembrou ainda que a cerimonia para dar inicio a duplicação da 381 foi marcada por muita emoção. Ele ressaltou o depoimento do Padre Willian, que falou em nome dos usuários da BR e perdeu seus pais em 2013 em um acidente na rodovia. “ O padre fez uma fala muito emocionante para a presidenta Dilma, dizendo que todo aquele dinheiro que será investido não traria a vida dos seus pais de volta, mas, em um olhar para frente, ele estava satisfeito porque muitos órfãos seriam evitados e viúvas não existiriam.
O coordenador da caravana da participação, ex-ministro Fernando Pimentel também compareceu a cerimonia. “É um momento dos mais importantes para nós, mineiros, tanto para o cidadão comum, como para os empresários do nosso estado. Enfrentamos todos os contratempos de uma obra monumental como essa, mas conseguimos avançar e colocar na rua a duplicação da BR-381. É a reafirmação do nosso compromisso com o povo mineiro”, afirmou.
Segundo cálculos da FIEMG, serão cerca de 6 mil empregos diretos e indiretos na duplicação da rodovia. Considerando somente esse pessoal, há uma imensa oportunidade para as empresas locais no fornecimento de uniformes, refeições e equipamentos de segurança. A estimativa da entidade é de que a cada R$ 1 investido na obra sejam gerados outros R$ 3 em negócios.
A BR-381 é o principal eixo de transporte do leste de Minas Gerais. Ipatinga, com 250 mil habitantes, é pólo central da região. Fica na cidade a sede da Usiminas, a maior siderúrgica de Minas Gerais, que movimenta cerca de 500 caminhões por dia na rodovia. A duplicação também facilitará o acesso ao complexo portuário de Tubarão (ES) e o fluxo de importação/exportação.