O líder de governo na Assembleia, deputado Durval Ângelo (PT), recebeu nesta sexta-feira (04/08) comitiva do município de Santa Margarida, Região do Caparaó, para discutir melhorias na segurança pública. A comitiva entregou ao deputado um projeto do Conselho Comunitário de Segurança Pública (Consep) para implantação do Olho Vivo na cidade. O parlamentar anunciou que destinará emenda parlamentar no valor de R$150 mil para a implantação das câmaras na região central da cidade e no distrito de São Domingo. Ele também informou que solicitou ao secretário de Estado de Governo, Odair Cunha, a liberação do recurso com urgência. “O secretário já se comprometeu a atender o , em cerca de três meses já poderemos dar início a implantação do Olho Vivo”, destacou Durval Ângelo.

Participaram da reunião o vereador e vice-presidente do Consep, Luciano Augusto, a gerente-geral da agência do Banco do Brasil no município e diretora do Conselho, Raquel Ribeiro, o vereador Messias José dos Reis, e o ex-presidente do Consep, Paulo Carmelito.

Em março deste ano, um cabo da Polícia Militar e um vigilante do Banco do Brasil foram mortos por bandidos durante assalto a agência. O mesmo banco já havia sido vítima da mesma quadrilha em março de 2016, quando explodiram caixas bancários.

Segundo a diretora do Consep, Raquel Ribeiro, após a explosão, o Conselho realizou reuniões com membros de diversos órgãos, tais como Polícia Civil, Polícia Militar, Judiciário, para melhorar a segurança na cidade. Ela conta que apenas representantes da Promotoria não participaram das reuniões. Raquel apresentou também um abaixo-assinado de março de 2016 em que foi solicitado a implantação do Olho Vivo. “A primeira assinatura é do nosso colega Leonardo José Mendes, o vigilante que morreu na tragédia”, disse.

Durval destacou que o Governo do Estado havia aumentado o efetivo da Polícia Militar na região e que está solidário e trabalhando por Santa Margarida. Ele cobrou uma ação mais contundente do Ministério Público contra as quadrilhas na região. “Tudo isso nós sabemos não diminui a dor pelas perdas, mas estamos tentando resolver as demandas e cobrando empenho na apuração do crime”, destacou.