Avançam os entendimentos para a abertura de duas unidades da APAC (Associação de Proteção e Assistência ao Condenado) em Juiz de Fora: uma masculina e uma feminina. O deputado Durval Ângelo recebeu segunda-feira (02/10) em seu gabinete o juiz da Vara de Execuções Criminais de Juiz de Fora, Evaldo Gavazza e o coordenador da Pastoral Carcerária da cidade, Padre Wellington Nascimento. Acompanhados do assessor do Mandato, Fábio Gardoni, eles solicitaram apoio para a cessão pelo Governo de Minas, em regime de comodato, de um terreno anexo ao complexo prisional de Juiz de Fora, onde funcionariam as duas unidades, com 200 vagas masculinas e 100 femininas. Conforme informou o juiz Evaldo Gavazza, os recursos para as obras serão destinados pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais, por meio da Vara de Execuções Criminais.

O projeto já está pronto e também tem o apoio da Arquidiocese de Juiz de Fora, que vê no método APAC e na ressocialização dos apenados a saída para a contenção da violência na região.

“Com toda a certeza, podem contar com o meu empenho, pois essa tem sido uma das grandes bandeiras de nosso mandato. Estou certo de que o governador Fernando Pimentel também será sensível a esta justa demanda. Parabéns à Vara de Execuções Criminais e à Pastoral Carcerária de Juiz de Fora pela iniciativa”, disse o deputado Durval Ângelo.