Milhares de brasileiros tomaram as ruas em 23 estados e no Distrito Federal, na última sexta-feira (13), durante manifestações pacíficas em defesa da democracia e do governo da presidenta Dilma Rousseff. Movimentos social e sindical organizados pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), também reivindicaram a reforma política e defenderam a Petrobras.

Em Belo Horizonte cerca de 20 mil pessoas, segundo a CUT, participaram do ato. Os manifestantes se concentraram na praça Afonso Arinos e caminharam até a Praça Sete. Centenas de pessoas carregavam bandeiras da presidenta Dilma e manifestavam apoio ao seu governo.

O deputado estadual, Durval Ângelo (PT), avalia que a grande adesão as manifestações de sexta-feira, são prova do forte apoio ao governo da presidenta Dilma. “Os atos demonstraram uma força muito grande dos apoiadores do governo e a democracia. Temos que aproveitar o momento de grande mobilização social para fazer as reformas que o Brasil tanto precisa”.

Em São Paulo, a concentração na Avenida Paulista reuniu aproximadamente 100 mil pessoas no fim da tarde, segundo a CUT. A passeata foi até a Praça da República, no centro da cidade. Os discursos pedem a reforma política, o fim do financiamento privado para campanhas eleitorais, a defesa da Petrobras e dos direitos trabalhistas.
Sobre as manifestações do dia 15 de março, o deputado estadual Durval Ângelo afirmou que elas fazem parte da democracia. “Vivemos em um país democrático, onde a livre expressão do pensamento é um direito de todos. Manifestações são legitimas e fazem parte da democracia. No entanto, qualquer ato de violência, de ódio, de intolerância e de golpismo vão contra a democracia”.